quarta-feira, 14 de agosto de 2013

MANHÃ DE SOL (CHUVA LEVE)



(Por Diego EL Khouri)



Ouvindo o disco In a Silent Way do Miles Davis.

Manhã de sol seguida de uma chuva leve. Chuva que lava a alma. Mais um parto nessa manhã de sol. Mais um dia. Apenas a poesia na calçada descalça, ingênua, sacana e bêbada. Olhos arregalados, deslumbrados perante a vida. Vida que também fere e corta. Mesmo assim bela como fogo indecente de blasfêmias masturbatórias, clamando loucura. Ah bendita loucura e seus arrebóis multifacetados, pernas abertas ao escândalo, correndo e correndo do abismo, esperando amor , um beijo leve da poesia-mulher e seios fartos de uma primavera breve. Boca nos seios, nos seios, lambendo em círculos os contornos de seu bico, lambendo seios, seios, uma manhã de sol surgindo após uma madrugada de chuva leve. Chuva que lava a alma. Mais um parto nessa manhã de sol. Mais um dia. Apenas a poesia na calçada de guarda chuvas destruindo o acaso. Criando em si própria o infinito. Destruindo regras, um abismo todo jogado fora. Uma sensação que não cessa.

17, 01, 2013


Nenhum comentário:

Postar um comentário